27.05.2011

 Estudar, trabalhar e ter planos para o futuro faz parte da vida de todo jovem com sede de viver. Mas, para aqueles que vivem com HIV/aids, projetos assim exigem um esforço a mais. Faz parte da rotina enfrentar estigma e preconceito. Na busca por garantia de um espaço para a interlocução, troca e avaliação de experiências, 120 desses meninos e meninas de todo país, entre 15 e 29 anos de idade, vão se reunir, em Manaus (AM), de 27 a 29 de maio, no 5º Encontro Nacional de Jovens vivendo com HIV/Aids.

Organizado pela Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids (RNAJVHA), com apoio do Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedeca – Pé na Taba), o evento tem como principais eixos de discussão: saúde, educação, direitos humanos, incidência política e trabalho em redes. “A sociedade precisa entender que temos perspectiva de futuro e que o HIV não pode ser uma limitação nos nossos sonhos e projetos de vida”, ressalta o jovem José Rayan, 18 anos, morador de Manaus e coordenador do 5º encontro.

Entre os temas em debate, estão a vida escolar e as relações afetivo-sexuais entre casais sorodiscordantes (quando apenas um dos parceiros tem o vírus). Também fazem parte da discussão os direitos sexuais e reprodutivos. Uma oficina sobre comunicação e mídias sociais pretende mostrar alternativas e formas de expressão e divulgação de informações da rede para os jovens e seus pares, com quem mantêm interlocução na luta contra a aids.

Para o governo federal, a iniciativa contribui para que os jovens descubram possibilidades de atuação frente aos desafios locais de enfrentamento da doença. Dados do Ministério da Saúde mostram que, em 1991, havia 155 municípios com pelo menos um caso de aids em jovens de 13 a 19 anos. Em 2009, subiu para 237 o número de cidades com registro da doença nessa faixa etária.

O total de casos de aids nessa faixa etária, de 1980 até junho de 2010, corresponde a 12.693 registros. Atualmente, a região com a maior taxa de incidência de aids nesse grupo é o Sul (4,2 casos da doença a cada 100 mil habitantes), seguida do Norte (3,1), Sudeste (2,7), Centro-Oeste (2,6) e Nordeste (1,9).

O encontro tem o apoio do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. “É um orgulho ver essas novas lideranças em busca de mudanças. Mostra que elas fazem o futuro construindo políticas públicas de saúde”, observa o diretor-adjunto do Departamento, Eduardo Barbosa. Segundo Eduardo, é importante que os jovens realizem ações que tenham a eles mesmos como público-alvo. “A chamada educação entre pares é muito importante. Nós, adultos, não possuímos a mesma linguagem dos jovens”, afirma. A rede surgiu em 2008 a partir de um curso de ativismo e direitos humanos para jovens vivendo com HIV/aids.

Serviço

5º Encontro Nacional de Jovens vivendo com HIV/Aids

Data: sexta-feira, 27 a 29 de maio de 2011

Hora: 10h

Local: salão principal do Hotel Taj Mahal

Endereço: Rua Getúlio Vargas, 741, Centro

Mais informações

Atendimento à imprensa

Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

Tel: (61) 3306 7051/ 7024/ 7010/ 7016

Celular: (61) 9221-2546

Site: www.aids.gov.br

E-mail: imprensa@aids.gov.br

Atendimento ao cidadão

0800 61 1997 e (61) 3315 2425

Fonte:  Imprensa – Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

e-mail:imprensa@aids.gov.br