Vacina contra a gripe suínaEstudo ajudou a orientar campanhas de vacinação nos EUA e no Canadá

A vacinação generalizada de crianças e adolescentes contra a gripe comum pode ajudar a conter a disseminação do vírus entre os adultos, segundo um estudo canadense e americano.

A pesquisa constatou uma queda de 61% nas infecções por gripe entre membros de comunidades agrícolas no Canadá com um índice de vacinação superior a 80% entre as crianças e adolescentes de 3 a 15 anos.

O estudo foi publicado nesta semana pela revista especializada The Journal of the American Medical Association (Jama).

Financiada pelos governos canadense e americano, a pesquisa ajudou a definir o público-alvo das campanhas de vacinação contra a gripe suína nesses países.

Comunidades

Os pesquisadores estudaram o resultado da vacinação de crianças e adolescentes em 49 comunidades hutteritas (grupo protestante que se organiza em cooperativas agrícolas fechadas) no oeste do Canadá.

Crianças de alguns desses grupos receberam a vacina contra a gripe, enquanto em outros elas receberam uma vacina contra hepatite A, usada como controle.

No total, foram comparados 947 crianças e adolescentes vacinados contra a gripe com 2.326 que não haviam sido vacinados.

Nas comunidades onde a vacinação contra a gripe havia sido feita, o índice de infecção pela doença foi de 4,5%, enquanto nas comunidades onde foi dada a vacina para hepatite A, 10,6% ficaram gripados.

‘Efeito considerável’

“O efeito da proteção indireta de imunizar crianças e adolescentes nos participantes do estudo foi considerável”, disse no estudo o coordenador da pesquisa, Mark Loeb, da Universidade McMaster, no Canadá.

Segundo Loeb, os resultados da pesquisa mostram que os efeitos para os adultos do grupo da imunização de crianças e adolescentes foi semelhante à proteção que seria verificada com a vacinação desses adultos.

O pesquisador destaca ainda que o fato de crianças com menos de 3 anos não terem sido imunizadas no estudo pode ter reduzido a proteção sobre os adultos, que poderia ser ainda maior caso as crianças menores tivessem recebido a vacina.

“Nossos resultados oferecem uma prova experimental para apoiar a imunização contra influenza (gripe comum) de crianças em idade escolar para interromper a transmissão da influenza”, explica Loeb.

“Particularmente, se há restrições nas quantidades e na distribuição da vacina, pode ser vantajoso vacinar seletivamente crianças para reduzir a transmissão da influenza na comunidade”, conclui o pesquisador.

Fonte: BBC BRASIL