FONTE: http://www.saude.gov.br
23/06/2011

A Organização Mundial da Saúde lançou uma cartilha com diretrizes e recomendações para a prevenção da aids entre homens homossexuais.  Segundo a OMS, esses casais têm 20 vezes mais chances de contrair o vírus do que a população em geral.  As vinte e uma novas recomendações tratam do acesso ao tratamento e a prevenção da doença. O  diretor-adjunto do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Eduardo Barbosa, afirma que a cartilha reforça as ações do Ministério da Saúde.

O diretor-adjunto do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Eduardo Barbosa diz que:

“A principal bandeira é o reconhecimento da questão de que a homofobia atrapalha todas as ações de saúde. Na medida em que você reconhece o direito da comunidade LGBT, da livre orientação sexual você possibilita que essa comunidade tenha acesso ao serviço de saúde. Essa é a principal questão abordada tanto pela OMS  e que já vem sendo adotada pelo Brasil estimulando nos serviços, estados e municípios também implementem ações nesse sentido.”

 O diretor afirma ainda que outra ação que o Ministério realiza e que está presente na cartilha da OMS é o reconhecimento de que a infecção pelo vírus da aids é uma epidemia concentrada. Por conta disso, esse público necessita uma atenção maior no tratamento e ações de prevenção. Dados do Ministério da Saúde apontam que em 2009, a taxa de incidência de HIV entre os homens foi de 25 casos por 100 mil habitantes e nas mulheres, o número  foi de 15,5 por 100 mil habitantes.

Reportagem, Vanessa Silvestre

FONTE: http://www.saude.gov.br