29/09/2011 , às 14h29

Ministério da Saúde recomenda que a vacinação prossiga nos municípios que ainda não atingiram a meta de 95% do público-alvo

A campanha de vacinação contra o sarampo termina, nesta sexta-feira (30), com sucesso. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde de vacinar 95% do público-alvo (crianças de um a menos de sete anos de idade) foi superada. Foram vacinadas no Brasil, até o momento, 16.565.389 (equivalente a 96,9%) das crianças na faixa etária estabelecida. O Ministério da Saúde recomenda aos municípios que não atingiram a meta dêem prosseguimento à vacinação.

Em duas regiões do país (Sul e Sudeste), todos os estados atingiram a cobertura mínima (veja a cobertura de cada estado no fim do texto).  Já na Região Norte, apenas o estado de Tocantins superou a meta, enquanto que nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, os estados do Maranhão e Mato Grosso, respectivamente, também registram coberturas inferiores a 95%.

MONITORAMENTO –OMinistério da Saúde, em parceria com estados e municípios, fará em todo o Brasil o Monitoramento Rápido de Cobertura (MRC). Esta iniciativa serve para avaliar as coberturas vacinais alcançadas na Campanha de Seguimento contra o Sarampo. Na oportunidade, as crianças que forem encontradas sem o registro de vacinação, serão vacinadas.

“A vacina é a única maneira de proteger contra a doença, razão pela qual,queremos garantir a máxima cobertura em todo o país”, ressalta o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa. O monitoramento terá início em dia 15 de outubro e prosseguirá até o fim de novembro. “Esta estratégia tem como objetivo validar os dados administrativos registrados durante a campanha, permitindo ainda uma nova oportunidade de vacinação para o grupo alvo.” O secretário explica que as equipes de saúde dos estados e municípios percorrerão, de forma amostral, os domicílios incluídos nesse estudo.

O Ministério da Saúde investiu R$ 146,7 milhões na compra e distribuição das doses, agulhas e seringas. Para a organização das campanhas regionais, foram repassados mais R$ 16,3 milhões aos estados e municípios.

DOENÇA – O sarampo é uma doença aguda, altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre, tosse seca, exantema (manchas avermelhadas), coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. O período de transmissão varia de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após o surgimento das manchas. A vacina é o meio mais eficaz de prevenção sendo ofertada na rede pública de acordo com os calendários de vacinação do PNI.

O Brasil passou a utilizar a vacina em meados da década de 1960, conforme as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Atualmente a vacinação ofertada nas 35 mil salas de vacinação em todo o país. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) realiza também ações complementares para a melhoria da cobertura vacinal, incluindo a intensificação das ações de vacinação, bloqueio vacinal, bem como as campanhas de seguimento (quatro em quatro anos) como o intuito de manter a prevenção, controle e eliminação do sarampo.

Até julho de 2011, os estados e os municípios notificaram ao Ministério da Saúde a ocorrência de 18 casos de sarampo no Brasil, relacionados à importação do vírus de genótipo D-4, que circula na Europa. Os casos foram nos estados do Rio Grande do Sul (7), Rio de Janeiro (4), São Paulo (3), Bahia (1), Mato Grosso do Sul (1), Piauí (1) e no Distrito Federal (1).

“É importante ressaltar que, desde 2000, o vírus selvagem não circula no país. Destaca-se a importância da vigilância ativa para que o país permaneça livre da circulação do vírus selvagem. Na ocasião todas as medidas foram adotadas para impedir a ocorrência de outros casos da doença”, explica a coordenadora do PNI, Carla Domingues.

Resultados da vacinação do sarampo por UF

UF

Total

 

Meta

Doses

Cobertura.

AC

96.800

87.611

     90,51%

AM

453.769

386.599

     85,20%

AP

84.288

74.277

     88,12%

PA

901.061

775.023

     86,01%

RO

158.411

146.553

     92,51%

RR

57.869

46.841

     80,94%

TO

151.189

147.285

     97,42%

NORTE

1.903.387

1.664.189

     87,43%

AL

335.015

323.582

     96,59%

BA

1.324.102

1.260.303

     95,18%

CE

791.360

776.215

     98,09%

MA

783.657

718.156

     91,64%

PB

356.449

348.056

     97,65%

PE

841.379

849.558

   100 %

PI

307.711

295.887

     96,16%

RN

292.200

278.538

     95,32%

SE

207.638

206.681

     99,54%

NORDESTE

5.239.511

5.056.976

     96,52%

ES

302.240

300.250

     99,34%

MG

1.580.409

1.595.552

   100%

RJ

1.235.980

1.195.370

     96,71%

SP

3.339.134

3.342.287

   100%

SUDESTE

6.457.763

6.433.459

     99,62%

PR

879.743

855.870

     97,29%

RS

805.694

802.491

     99,60%

SC

499.305

496.749

     99,49%

SUL

2.184.742

2.155.110

     98,64%

DF

236.967

233.324

     98,46%

GO

539.567

528.169

     97,89%

MS

234.108

225.254

     96,22%

MT

298.474

268.908

     90,09%

C.OESTE

1.309.116

1.255.655

     95,92%

BRASIL

17.094.519

16.565.389

    96,90%

 Fonte: Programa Nacional de Imunizações

Por Mauren Rojahn, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa (61) 3315-6266/3560

FONTE: http://www.saude.gov.br